segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Relações públicas: em busca de novos paradigmas

Segundo Edward Bernays, “as relações públicas cobrem o relacionamento de um homem, uma instituição ou idéia com seus públicos. Qualquer tentativa eficiente para melhorar esse relacionamento depende de nossa compreensão das ciências de comportamento e de como nós as aplicamos. (…) As ciências sociais são a base das relações públicas”.

Quatro modelos de relações públicas
Em 1984, James E. Grunig e Todd Hunt publicaram um livro no qual discorrem sobre quatro modelos que caracterizam a prática das relações públicas.

Conteúdo dos modelos
O primeiro modelo é o de imprensa/propaganda. Visa publicar notícias sobre a organização e despertar a atenção da mídia. É uma comunicação de mão única, não havendo troca de informações.

O segundo modelo é o de informação pública. Caracterizado como jornalístico, dissemina informações relativamente objetivas por meio da mídia em geral e de meios específicos.
O terceiro modelo é o assimétrico de duas mãos, que inclui o uso da pesquisa e outros métodos de comunicação. Vale-se desse instrumento para desenvolver mensagens persuasivas e manipuladoras. Preza unicamente os interesses da organização, não se importando com o público.

O quarto modelo é o simétrico de duas mãos, a visão mais moderna de relações públicas, em que há uma busca de equilíbrio entre os interesses da organização e dos públicos envolvidos. Baseia-se em pesquisas e utiliza a comunicação para administrar conflitos e melhorar o entendimento com os públicos estratégicos. A ênfase está mais nos públicos prioritários do que na mídia.

Por Mariana Gutierre



Fonte: Relações públicas e modernidade: novos paradigmas na comunicação - 4ª edição. Margarida Maria Krohling Kunsch.

Aulas de Comunicação Organizacional da professora Claudia Rebechi.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário